Edonion
Transformadores e mais...
 
 
 
Edonion W50
 
Temos vindo a fabricar alguns modelos de amplificadores apenas com o fito de testar e demonstrar a boa qualidade dos nossos componentes magn?ticos.
 
O Edonion W50 goza da credibilidade das KT88 no andar de saída exibindo uma topologia simples e directa que evidencia a boa qualidade dos componentes magnéticos.
 
Tem um som extremamente bem focado e um controle excelente sobre cargas difíceis, o que permite que o utilizador não tenha que se preocupar como casamento de colunas.
 
Os seus 45W RMS conferem-lhe uma excelente dinâmica que proporciona um desfrutar dum som que enche a maioria dos auditórios particulares.
 
Graves profundos rápidos levam-nos a sensações de forte realismo sonoro. A gama média quente e correcta esclarece as vozes e  instrumentos de corda, transportando-nos às sensações agradáveis que experimentamos ao vivo. O detalhe sonoro do registo agudo faz-nos viver uma percepção só  conseguida nas primeiras filas das salas de espectáculo.
 
 
Topologia
  
O Edonion W50 é um amplificador com estégio de saída Push-Pull, Classe AB enriquecida, Ultra-Linear, com BIAS automático clássico, inversor de fase em "concertina", driver diferencial e etapa pré-amplificadora com acoplamento directo.
 
Push-Pull porque garante maior rendimento que o Single-Ended permitindo um amplificador potente e  relativamente pequeno.
 
Classe AB enriquecida porque os primeiros 15W são em Classe A e os restantes em classe B.  Este tipo de polarização impede garantidamente a distorção "Crossover".  A potência generosa fornecida em Classe A oferece um contributo valioso para baixar a impedância de saída e melhorar o "damping factor". Isto é de importãncia vital para o controlo sobre a carga.
 
Por outro lado o salto de 15W para 45W ? de apenas 12dB/W para 16dB/W. Isto quer dizer que 75% da percepção auditiva é sentida em classe A.
 
Ultra-Linear porque os transformadores de saída têm tomadas que carregam as grelhas de "screen" das KT88 com 40% da carga. Esta topologia reune equilibradamente as vantagens do tríodo com as do pêntodo. Este tipo de desenho é o mais indicado quando se quer dispôr de um bom rendimento mantendo a distorção a níveis muito baixos
 
O Ultra-linear, associado a um pouco de degeneração catódica, combina duas formas de realimentação local.

A experiência auditiva diz-nos que níveis elevados de realimentação global prejudicam o registo médio, tornado as vozes e as cordas "ocas", sem corpo e desagradáveis ao ouvido.
 
Por outro lado a realimentação é necessária para melhorar a rapidez do grave e o detalhe do agudo.
 

Para manter a musicalidade com equilíbrio escolhemos máximo possível em realimentação local mantendo a realimentação global a níveis bastante baixos (-12dB).

 
O BIAS autom?tico clássico é a forma mais simples de polarizar as válvulas e evitar os reajustes, mantendo as válvulas estáveis mesmo quando têm um certo desgaste.
 
Inversor de fase em "concertina" ? uma forma simples de obter o desfasamento de 180º necessário para a etapa "push-pull". Garante uma simetria total do sinal com uma coerência temporal excelente.
 
Este inversor deve ser seguida de um driver diferencial de alta impedância de entrada, para não "sentir" a carga das válvulas de saída. Existem amplificadores que não têm este estágio diferencial. Nestes casos acontece um fenómeno que prejudica o detalhe sonoro: Como os dois ramos da "concertina" têm impedâncias de saída diferentes, quando directamente ligados ás válvulas de saída perdem a simetria nas frequências elevadas. A alta impedência e a baixa capacidade parasita da entrada do driver diminui desde logo este fenómeno. Por outro lado, esta etapa diferencial reduz a distorção dos harmónicos pares produzidos na etapa pré-amplificadora.
 
O acoplamento directo é a forma mais pura de ligar as diversas etapas. Por esse motivo este tipo de acoplamento se usa tanto na entrada directa como entre a etapa etapa pre-amplificadora e o inversor.
LINKS: